Cores Primárias
Cores Primárias é um site para quem ama o mundo das cores e quer entender mais sobre elas

Cores LGBTQIA+: qual significado das cores na bandeira

0 222

Entenda a ideia original por trás das primeiras manifestações queer ao redor do mundo na construção da bandeira LGBTQIA+. Saiba como cada cor específica possui um peso e carrega no sentido mais amplo da discussão uma mensagem de paz e amor. Entenderemos melhor tudo isso.

Qual significado das cores na bandeira LGBTQIA+

A definição presente nas cores da bandeira LGBTQIA+ são inúmeros e estão ligados diretamente com as possíveis “características” das pessoas que lutam pelos seus direitos. O vermelho nesse contexto significaria “vida”, a força pelas formas de reivindicações. O laranja significa auto-cura. 

A auto cura perante as marcas deixadas pelo preconceito. O amarelo, o brilho próprio. O verde, a força da natureza humana através da união. O azul seria harmonia e o roxo, espírito. 

Cores atuais da comunidade LGBTQIA+

Não há definido quais cores representariam a comunidade LGBTQIA+ todo visto que ao longo do tempo novas designações e expressões são criadas, tanto na academia quanto fora dela. O arco-íris é mais vista hoje em dia como uma expressão guarda-chuva, pois existem diversas bandeiras específicas com cores individuais para cada luta em si. 

Existe o debate sobre uma nova forma de “símbolo”, junto as cores já conhecidas mas agora com adição de um círculo roxo para inclusão para pessoas intersexo. É importante frisar que quando o assunto é “gênero” a melhor coisa a se fazer é pesquisar. Ir a fundo e estudar o campo da teoria ‘queer’. 

Cores antigas

As cores clássicas da bandeira inicialmente possuía em sua versão, 8 faixas. A cor rosa, por exemplo, se formou por último. Nesse debate entre manter as cores padrões e alterar sua estrutura, foi diminuído primeiramente até chegar às 6 faixas “normais”. Existem até hoje teóricos que defendem manter a cor do arco-íris como era na década de setenta e outros que batem o pé e ficam do lado da atualização constante sempre que a comunidade entender que deve-se mudar. 

Como surgiu a bandeira LGBTQIA+?

A bandeira que carrega consigo as cores do arco-íris é derivada de um contexto histórico de muitas lutas e resistência. O significado por trás desse símbolo que por muito tempo ficou mais restrito aos homens gays, passaram com o tempo a representar as demais pessoas da sigla como por exemplo, pessoas trans e travestis, com o objetivo de mostrar para o mundo como a diversidade existe e é importante. 

Como surgiu a bandeira LGBTQIA+?
Conheça como surgiu a bandeira LGBTQIA+. Fonte/Reprodução: original.

A bandeira deriva de um trabalho do artista Gilbert Baker. Solicitado na época por um dos representantes da cidade de São Francisco, Baker foi encarregado de idealizar algo que remetesse as pessoas da sigla de maneira material e lúdica.

Na década de 1970, os movimentos hippies estavam no centro da pauta, e foi justamente inspirado nesse ideário que o artista mencionado acima teve a ideia de criar a bandeira multicolorida, e visualizar o então fenômeno natural “arco-íris” e então fazer menção direta com a pluralidade das cores LBTQIA+. 

Porque o arco-íris é associado a bandeira LGBTQIA+?

Ao olhar para uma bandeira que explode em paletas de cores, talvez a primeira ideia que vem à mente são as infinitas possibilidades presentes naquele símbolo. Por muito tempo se associou às “cores LGBTQIA+” presentes na bandeira para classificar essas pessoas em “muito alegres/extrovertidas”, mas hoje, a comunidade mudou o sentido, visto que essa ideia antiga era muito reducionista e simplista. No final das contas o arco-íris é associado a essa diversidade porque na natureza ele significa início de um ciclo. Passa a imagem de esperança.

As cores representam muito mais que apenas rótulos, elas representam a  força de vozes diversas que lutam pelos seus direitos de se estar no mundo. Para além do papel comercial que a bandeira “arco-íris” tem, ela nos passa a mensagem de resiliência e união. E esse sim, é o legado daqueles que vieram antes de nós. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.